O estresse e o bruxismo

Estresse, ansiedade, fechar a boca de forma errada, oclusão (problemas na mordida entre as arcadas dentárias superior e inferior) são alguns dos fatores relacionados ao bruxismo. Segundo os especialistas, o bruxismo é uma espécie de disfunção e ocorre mais durante o sono, quando é maior a pressão na arcada dentária. Com o tempo, se não cuidar, essa ação involuntária pode provocar desgastes e até amolecimento dos dentes. O problema pode se agravar e causar problemas ósseos, na gengiva e na articulação da mandíbula. Não existe um tratamento específico para curar o bruxismo. Essa disfunção é tratada com remédios voltados para ansiedade e tensão. No entanto, um recurso que está aliviando os sintomas é o uso das plaquinhas de acrílico, moldadas de acordo com a arcada dentária do paciente. Usadas ao dormir, elas ajudam a diminuir a pressão entre as arcadas. Toda e qualquer ação que venha a aumentar a pressão entre a arcada inferior e a superior devem ser evitadas, como mascar chicletes e morder tudo que possa causar pressão nos dentes. No entanto, exercícios físicos para aliviar a tensão e usar a plaquinha ao dormir são as melhores coisas a fazer. Um dos problemas mais avançados causados pelo bruxismo são as fortes dores de cabeça, devido à pressão exagerada da arcada, danificando vasos, nervos, polpa dentária até a raiz do dente. A disfunção do sono e o ronco (apneia do sono) também são fatores determinantes relacionados com a gravidade do problema, assim como zumbido no ouvido e dores no pescoço, na mandíbula – estalos quando abre a boca. Segundo o cirurgião-dentista Eduardo Sakai, DDS, PhD em Ortopedia Funcional dos Maxilares, existe ainda a disfunção temporomandibular (DTM) ou DOF (dor orofacial, como os especialistas pretendem chamar). “A DTM é um quadro multidisfuncional, que envolve as ATMs, suas estruturas de suporte e movimentação, podendo inclusive envolver estruturas distantes da boca (como a região de sustentação da cabeça)”, disse Dr. Sakai. De acordo com pesquisas, o problema atinge homens, mulheres e crianças. O Dr. Sakai adverte que, segundo estimativas, ainda não comprovadas, acima de 30% da população sofre de DTM ou ainda venha a sofrer de DOF. Não esqueça, é preciso consultar um cirurgião-dentista, só ele poderá fazer o diagnóstico, pois, em casos mais graves, que não sejam dentários, ele poderá encaminhar o paciente para outros profissionais a fim de solucionar a causa.

Fontes:
www.drauziovarella.com.br/letras/b/bruxismo-2
www.minhavida.com.br/saude/temas/bruxismo.
www.cfo.org.br
www.ligadonodentista.com.br

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

× Agende uma Consulta via Whatsapp